sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Poeira das estrelas (sinta o sol dessa manhã)

E de repente, naquele dia olhei para o céu e pensei no quanto nossas vidas são frágeis. Sentado debaixo daquela árvore, percebi que, a qualquer momento, tudo poderia simplesmente deixar de existir. Talvez o sol um dia se apague ou a terra exploda. Talvez um cometa esteja nesse exato instante vindo em nossa direção ou um buraco negro surja repentinamente, pronto para devorar tudo o que encontrar pela frente, incluindo nós. Seja como for, tudo iria acabar em questão de segundos. Todas as nossas vidas, todos os nossos sonhos, as nossas famílias, aquelas nossas paixões de escola não correspondida, absolutamente tudo iria desaparecer sem qualquer tipo de sinal ou aviso prévio. E o universo nem sequer se importaria com os nossos planos que ainda não foram cumpridos, ou se estávamos tendo, ou não, um bom dia.
Não pude deixar de pensar nesse momento no quanto somos insignificantes. Crescemos, mas continuamos pequenos. Expandimos nossas mentes cada vez mais em busca de respostas para todas nossas perguntas, mas ainda sim seremos para sempre eternas crianças que nada sabem, brincando sozinhas e perdidas pela imensidão do universo e, no fim, não importa o que aconteça, voltaremos a ser apenas poeira das estrelas. Assim como sempre fomos. Assim, como sempre seremos...

Aproveite o dia enquanto ainda há tempo. 


Não quero que tudo acabe sem que eu veja o sorriso dela por uma última vez


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identificou com o texto? Conte-nos sua história, nos mostre um pouco dos pensamentos e sentimentos que estão guardados ai neste teu peito enferrujado, desabafe.

Ou apenas venha dizer um olá e quem sabe dividir um copo de café conosco (: